Eternizando em palavras a fugacidade do coração.

Arquivo para fevereiro, 2010

Mulher: a mais nua das carnes vivas e aquela cujo brilho é o mais suave.

Antoine de Saint-Exupéry


Living is easy with eyes closed!

E que vá para o inferno a hora do olho no olho.

😉


“Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.”

Friedrich Nietzsche

Ahhh Nietzsche me entenderia.
Embora a felicidade seja mil vezes melhor, com ela nada aprendemos.
Já com a tristeza…ahh com essa aprendemos a viver.
Aprendemos por onde podemos pisar. Embora ás vezes nossos sentimentos burros, ainda nos traiam.
E eu não me arrependo de nada do que vivi, claro que uma ou outra ligação no meio da madrugada poderia ser facilmente descartada.rs (sim, eu estava bebada, claro!)
Mas mesmo tendo chorado litros.  Com toda esse desilusão que a gente passa na vida, acabamos nos fortalecendo..
é como diria meu querido Nietzsche: “O que não mata, fortalece!”
E eu hoje sonhei com vc, deve ser por isso que estou falando sobre tristeza,aprendizado…
Embora a história não tenha dado certo, tu me trouxe muito mais do que momentos de alegrias…me trouxe lições que levarei pela vida toda.
E que venha 2010, com tudo que tenho direito.
E se vier mais lições,  eu as aceitarei e tomarei para mim.
Afinal, não há mal que dure para sempre.
😉

Vamos fugir deste lugar, baby!?


Tem músicas que parecem que foram escritas para a gente , né!?

Slow down, you crazy child.
You’re so ambitious for a juvenile.
But then if you’re so smart, tell me why are you still so afraid?
Where’s the fire? What’s the hurry about?
You better cool it off before you burn it out.
You got so much to do and only so many hours in a day.

Don’t you know that when the truth is told
That you can get what you want or you can just get old?
You’re gonna kick off before you even get halfway through.
When will you realize Vienna waits for you?

Slow down, you’re doing fine.
You can’t be everything you wanna be before your time,
Although it’s so romantic on the borderline tonight, tonight.
Too bad, but it’s the life you lead.
You’re so ahead of yourself that you forgot what you need.
Though you can see when you’re wrong,
You know, you can’t always see when you’re right, you’re right.

You’ve got your passion. You’ve got your pride,
But don’t you know that only fools are satisfied?
Dream on, but don’t imagine they’ll all come true.
When will you realize Vienna waits for you?

Slow down, you crazy child.
Take the phone off the hook and disappear for a while.
It’s all right you can afford to lose a day or two.
When will you realize Vienna waits for you?

Don’t you know that when the truth is told
That you can get what you want or you can just get old?
You’re gonna kick off before you even get halfway through.
Why don’t you realize Vienna waits for you?
When will you realize Vienna waits for you?

Vienna- Billy Joel

=)


Vamos sensualizar pq. hoje é sexta feira!!!

😉


Dar não é fazer amor.

Vi esse texto do Veríssimo e me encantei.

DAR NÃO É FAZER AMOR

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca…
Te chama de nomes que eu não escreveria…
Não te vira com delicadeza…
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar….
Sem querer apresentar pra mãe…
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral…
Te amolece o gingado…
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem
esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar
o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
“Que que cê acha amor?”.
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho…
É não ter alguém para ouvir seus dengos…
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar

Experimente ser amado…

Luís Fernando Veríssimo

Demais né!?

Ahh eu sou uma grande fã do Veríssimo.